sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

INICIATIVA DO ALANDROAL EM DESTAQUE

                     Universidade Popular na mira do Instituto de Empreendedorismo Social

Considerada uma potencial iniciativa de inovação e empreendedorismo social pelo IES (Instituto de Empreendedorismo Social), a Universidade Popular de Alandroal está a ser alvo de investigação e análise pelo projeto MIES (Mapa de Inovação e Empreendedorismo Social) que visa mapear iniciativas de elevado potencial de inovação e empreendedorismo e divulgá-las nacional e internacionalmente, apostando na comunicação e partilha do conhecimento gerado.

Como tal, deslocou-se até ao Alandroal no dia de ontem, 19 de novembro, uma equipa especializada, com o objetivo de assistir às atividades e captar imagens para edição de um vídeo que ficará disponível em breve no website do MIES, juntamente com a informação completa do projeto.

Um reconhecimento público que enche de orgulho tanto a autarquia como todos aqueles que estão ligados à Universidade Popular e que diariamente contribuem para a fomentação de conhecimentos e troca de experiências, combatendo o isolamento e promovendo o envelhecimento ativo.



Fonte “site” C.M.A.

AS NOSSAS SUGESTÕES PARA O FIM-DE-SEMANA

                                                                    ALANDROAL



Realização: David Ayer
Intérpretes: Brad Pitt, Jason Isaacs, Jon Bernthal, Logan Lerman, Michael Peña, Scott Eastwood, Shia LaBeouf
Género: Drama/Guerra
Classificação: M/14
Duração: 134 min.

Bilhete: 3.50€ (Menores de 12 anos ou portadores de cartão jovem munícipe 2.65€)

Abril de 1945.  À medida que os aliados fazem a sua investida final pelo teatro europeu de guerra, Wardaddy, um sargento endurecido pela batalha, comanda um tanque Sherman e a sua equipa de cinco homens numa missão mortal por trás das linhas do inimigo. Com um número muito inferior, tanto de homens como de armas, Wardaddy e os seus homens enfrentam probabilidades esmagadoras na sua tentativa heroica de atacar o coração da Alemanha Nazi.
                                                                        MONTEMOR


                                                                                   ÉVORA





                                                                            OUTRAS





DESPORTO – JOGOS PROGRAMADOS PARA O FIM DE SEMANA

FUTEBOL

Distrital de Évora

Divisão de Elite
Cabrela – Escouralense
Borbense – Calipolense
Lavre – Monte Trigo
Oriola – Redondense
Perolivense – Sporting Viana
Juventude – Lusitano.

Taça Distrito de Évora
Canaviais – Portel
Arraiolense – Estremoz
Estrela Vendas Novas – S,. Bartolomeu Outeiro
Corval – Alcaçovense.

Divisão de Honra - Acerto calendário
Santana do Campo - Fazendas do Cortiço

1ª Divisão - Torneio preparação - Acerto Calendário
Canaviais B - Giesteira

Infantis Fut 7
Redondense – Terena
Benjamins Fut 7
Terena – Redondense


Nacional de Seniores - Serie G - Jogo antecipado
1º Dezembro - União de Montemor

Particular
A.D.C. Santo antónio Baldio - Amigos S. Bras dos Matos




RUGBY

Nacional – Divisão de Honra
A.A. Coimbra – R.C. Montemor 


FUTSAL




OUTRAS MODALIDADES



IMPRENSA REGIONAL DE HOJE


CRONICA DE OPINIÃO - RUBRICA DIÁRIA DA RÁDIO DIANA/FM

                                       Economia social

Sexta, 21 Novembro 2014 10:18
Falemos hoje de economia social ou, se quisermos, do terceiro setor.
Integra a economia social um conjunto de organizações que tomam princípios e valores comuns e que não têm o lucro como condição primeira, encontrando-se incluídas neste setor, entre outras, associações (ex: IPSS), cooperativas, fundações, misericórdias e mutualidades.
Exercem a sua atividade em todas as áreas da economia, em áreas tão distintas como o ambiente, a saúde, a cultura ou o apoio social.
É um sector em franco crescimento.
Mas a economia social assume hoje, quer na europa quer em Portugal uma enorme expressão.
Na europa ela representa cerca de 10% das empresas e gera 6% do total do emprego. Em Portugal apresenta uma taxa de 4% do total das empresas e do emprego, sendo responsável por 5,5% do PIB.
Este “grupo” é fundamental na redução das desigualdades sociais e no combate à pobreza e à exclusão social, porquanto muitas das organizações foram criadas, desde logo, para responder aqueles problemas, é algo que está na génese da sua constituição.
São entidades que, muitas vezes, substituem o Estado no seu papel de assegurar funções, sociais e outras, funções de fundamental importância para a organização e equilíbrio da sociedade.
E esta relação que se cria entre o Estado e as organizações que integram o setor tem naturalmente ganhos mútuos. O Estado “transfere” para aquelas organizações (ex: IPSS) algumas das suas obrigações, contratualizando com aquelas para que fique assegurada à sociedade essa obrigação.
No quadro europeu as metas definidas para Portugal no âmbito da Estratégia Europa 2020 requerem que se atinjam objetivos bem precisos:
Aumentar o Emprego (taxa de emprego da população entre os 20 e os 64 anos) para 75%;
Combate à Pobreza e às desigualdades sociais (pessoas em risco de pobreza / exclusão social – variação face a 2008) menos 200 mil.
E o Alentejo enquanto território de baixa densidade, com uma elevada taxa de população idosa e de baixos rendimentos, com tendência para aumentar, terá aqui preocupações acrescidas, pelo que será fundamental criar apoios que respondam cada vez mais à inclusão deste e outros grupos e as organizações da economia social, ou pelo menos parte delas, terá condições naturais para responder aqueles problemas e para que se consigam atingir as referidas metas.
Quanto ao emprego as organizações da economia social para além de já serem criadoras líquidas de emprego, também elas certamente irão ser um dos motoras da criação do emprego na região, um emprego que se quer inclusivo, sustentável e qualificado.
Rui Mendes


TIVERAM PESADELOS DURANTE A NOITE ? NÃO FOI ?

                  PSD retira proposta sobre subvenções vitalícias

               MAS OLHEM O MEU CONCEITO SOBRE A VOSSA ATITUDE NÃO SE ALTERA

É PRECISO NÃO TER UM PINGO DE VERGINHA NAS "FUÇAS"


                    VOCÊS NÃO SE ENVERGONHAM ?  TÊM ALGUMA MORAL? CAMBADA!...


                         AINDA ESTÃO A TEMPO! PONHAM A MÃO NA CONSCIÊNCIA:


quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

HABITUAL CRONICA DE OPINIÃO TRANSMITIDA HOJE NA RÁDIO DIANA/FM


Quinta, 20 Novembro 2014 11:05
A normalidade é um conceito elástico. O que é normal para uns pode ser aberrante para outros. O que não ofende os sentidos de alguns pode ser ofensivo para outros tantos.
Talvez por isso nunca tenha percebido muito bem o que é isso do normal funcionamento das instituições.
Sempre que pressionado a demitir o governo, o Presidente da República vem invocar que não está em causa o normal funcionamento das instituiçõoes e como tal não vê razões para interferir no curso da legislatura.
Da implosão do BES, o banco do regime, com todo o acumular de erros e omissões por parte de reguladores e governantes e que acabou numa solução que nos vai a todos fazer pagar por isso, não resulta nenhuma avaliação de anormal funcionamento das instituições.
Da confusão estabelecida no início do ano escolar, com professores colocados que não deveriam ter sido e professores não colocados que deveriam ter sido, que depois resultou na colocação do mesmo professor em dezenas de escolas, com as desculpas do ministro que se revirou do avesso para demonstrar que tudo estava a funcionar normalmente, não resultou nenhuma avaliação de que as instituições não estavam a funcionar segundo parâmetros de normalidade.
Do desastre que foi a suposta reforma do mapa judiciário, que afastou ainda mais a justiça dos cidadãos, com o episódio da paralisação da plataforma informática e da construção de uma teoria da conspiração para encontrar reponsáveis que limpassem a face da ministra e da sua óbvia responsabilidade política, também não resultou qualquer indício de suspeita sobre o normal funcionamento das instituições.
Do escândalo dos vistos dourados, que envolveu altas figuras da administração, o dirigente do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, o presidente do Instituto de Registo e Notariado, a secretária geral do Ministério da Justiça e que levou à demissão do Ministro da Administração Interna, não se retirou qualquer evidência de que as instituições estariam afectadas no seu normal funcionamento.
Quando o Presidente da República, em entrevista a um jornal, afirma que as eleições legislativas serão na data legalmente prevista, afastando qualquer possibilidade de antecipar a agonia governativa e na mesma entrevista afirma que o próximo governo tem que ser maioritário, em vez de afirmar que o próximo governo tem que ser o que os eleitores quiserem que seja, não lhe passou pela cabeça a avaliação autocrítica que poderia resultar na conclusão de que as instituições estão longe do seu normal funcionamento.
Como se vê a tal “normalidade” é servida a la carte conforme as experiências e os objectivos de cada um e neste caso resulta na conclusão de que faça o governo o que fizer, aconteça o que acontecer, o normal é continuar em funções.
Um dia o paradigma de normalidade mudará, mas até lá é esta a normalidade que impera.
 Até para a semana
Eduardo Luciano


AS BELEZAS DE TERENA NUM VIDEO DA MARIA ANTONIETA MATOS

CAPAS JORNAIS + RECENTES IMPRENSA DO ALENTEJO




ÉVORA COMEMORA 28 ANOS DE “CIDADE PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE"







quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

MAS É CLARO SENHOR GOVERNADOR !


TIRO DE POLVORA SECA?

Governo alarga prazo para conclusão da obra da Biblioteca Municipal de Alandroal mas autarca antevê “muitos outros       problemas por resolver”


                                            Leia notícia e oiça entrevista clicando AQUI

ORA O "ALARVE" DO MATEMÁTICO

O professor universitário João César das Neves escreve esta quarta-feira, no seu espaço de opinião no Diário de Notícias, que a “outra face” da crise é a de que as pensões estão “há muito” a ser “sustentadas pelos impostos dos jovens”. O economista assegura ainda que “o inimigo dos reformados não é o Governo, é a aritmética”.

Como professor catedrático, senhor Cesar das Neves experimente lá dar esta lição de matemática aos seus alunos.
Numere por ordem as 27 letras do alfabeto.
Assim:
A = 1
B = 2
C = 3
D = 4
E = 5
F = 6
G = 7
H = 8
I = 9
J = 10
K = 11
L = 12
M = 13
N = 14
Ñ = 15
O = 16
P = 17
Q = 18
R = 19
S = 20
T = 21
U = 22
V = 23
W = 24
X = 25
Y = 26
Z = 27



Entao, podemos deduzir o seguinte sobre algumas atitudes, ou acçoes, utilizadas normalmente nas actividades laborais:

T-R-A-B-A-L-H-A-R
21+19+1+2+1+L+8+10+1+19 = 84%

S-A-B-E-D-O-R-I-A
20+1+2+5+4+16+19+9+1 = 77%

B-O-M
2+16+13= 31%

M-A-U
13+1+22 = 36%

D-E-S-O-N-E-S-T-O-S
4+5+20+16+14+5+20+21+16+20 = 141%

M-E-N-T-I-R-O-S-O-S
13+5+14+21+9+19+16+20+16+20 = 153%

C-O-R-R-U-P-T-O-S-
3+16+19+19+22+17+21+16+20=153%


 MORAL DA HISTORIA:

Com base nesta teoría, podemos afirmar, que é matemáticamente certo que em certos lugares como  Portugal  isso acontece:

Nao é aconselhável TRABALHAR, TER SABEDORIA ser BOM.

E, estão mais valorizados os DESONESTOS, MENTIROSOS CORRUPTOS E DESAVERGONHADOS; porque esses ultrapassam e excedem os 100%.



a matemática não mente.




A CRONICA DE OPINIÃO TRANSMITIDA HOJE NA DIANA/FM


                              A Igreja das Mercês estará à mercê

Quarta, 19 Novembro 2014 09:40
Ainda no âmbito das vistas partidárias levadas a cabo pela concelhia de Évora do Partido Social Democrata, na passada sexta-feira desloquei-me à Igreja das Mercês para poder inteirar-me dos danos de que foi alvo durante o decurso das obras que deram lugar ao hotel contíguo. Para quem desconhece, esta igreja fica na rua do Raimundo.
Na verdade, pude constatar que a referida igreja aparenta várias rachas em várias paredes do seu interior e, até, para um leigo em matéria respeitante à engenharia civil, as rachas e fendas existentes nas paredes da Igreja das Mercês, podem e/ou significam algo de muito preocupante se não houver uma intervenção de fundo que evite o avolumar dos danos existentes.
Não é minha intenção fazer aqui um juízo de culpabilidade no que concerne aos responsáveis pelos danos existentes na estrutura da respectiva igreja, para isso existem as entidades administrativas e judiciais. Porém, como cidadão eborense tenho a obrigação e o dever cívico de chamar à atenção para aquilo que está a suceder com a degradação de um património secular e que é da pertença de todos. A igreja das Mercês está classificada como património da humanidade.
Por outro lado, aparentemente, as medidas que foram adoptadas para que os danos existentes não se avolumem, para um homem médio, nem muito entendido, nem destituído de sentido de observação, confrontado com a amplitude dos danos existentes, aparentemente, são inadequadas por serem demasiado paliativas. Por exemplo, não existe um escoramento das paredes. Mas, repito, não sou técnico e devemos presumir que as entidades responsáveis estão a realizar um trabalho adequado e proporcional à natureza e à gravidade das coisas.
Pese embora a presunção de que tudo está a ser feito para que a igreja das Mercês não venha a desmoronar-se e que a segurança dos cidadãos que todos os dias atravessam a rua do Raimundo, quer a pé, quer de automóvel, não está em causa, deixo aqui uma pergunta final; porque é que Câmara não coloca outro tipo de protecção pedonal, que impossibilite o acesso ao passeio que confina com a igreja e suprime os estacionamentos que se situam em frente.
José Policarpo

UMA APOSTA QUE NO FIM VAI SOBRAR PARA OS MESMOS DE SEMPRE?

         Fisco na REN e na Galp para apurar dívidas ao Estado
Empresas recusaram pagar contribuição extraordinária sobre o sector energético e o Governo avançou com uma inspeção imediata.


No caso da REN está em causa um valor de cerca de 25 milhões de euros e no da Galp trata-se de um montante que ascende a 35 milhões de euros

DIVULGAÇÃO


Rádio Campanário volta a promover “Alentejo Solidário” com grandes nomes da musica portuguesa
A Rádio Campanário, realiza no próximo dia 5 de Dezembro, sexta-feira, em Vila Viçosa, o evento "Alentejo Solidário/14", uma iniciativa que conta com grandes nomes da música nacional, tal como tem acontecido em anos anteriores.
Ana Malhoa, que comemora 30 anos de carreira, Leandro, Filipe Delgado e a dupla Rafa e Beltran são as vozes que irão atuar no Pavilhão dos Bombeiros Voluntários de Vila Viçosa, a partir das 22.00 horas.
A pulseira solidária tem um custo 5,00 euros e podem ser adquiridas nos estúdios da Rádio Campanário, através dos números 268980222 / 961349379 ou em www.radiocampanario.co, msendo que as entradas são limitadas.
A receita do evento reverterá na íntegra a favor da entrega de cabazes com os principais géneros alimentares destinados a famílias que neste momento se encontrem em maiores dificuldades.