sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

ALANDROAL EM FESTA

TEM INÍCIO HOJE O : 



FESTIVAL DA JUVENTUDE

                                               
                                                             PRINCIPAIS ATRACÇÕES

HOJE DIA 29



AMANHÃ DIA 30


DESPORTO NO FIM-DE-SEMANA

FUTEBOL

Nacional de Seniores – serie G

União de Montemor – Pinhalnovense
Loures – Casa Pia
1º Dezembro – Sintrense
Fabril Barreiro – Atlético da Malveira
Sacavenense – Cova da Piedade.

Serie H
Operário Lagoa – Quarteirense
S.C. Praiense – Ferreiras
Lusitano V.R.S.A. – Moura
Aljustrelense – Angrense
Louletano – Atlético de Reguengos.

PARTICULARES

30/08
Terrugem – Alandroal United
Torneio dos Canaviais ( Canaviais, Perolivense, Monte Trigo, Alcaçovense)
Torneio de Ferreira (Fazendas do Cortiço, Lavre e Sabugueiro)
Serpa – Sporting Viana
Amareleja – Redondo
Santana do Campo – Calipolense
Piense – Portel
Castrense – Oriolense
Valenças Cabrela
31/08
Oriola – S. Bartolomeu Outeiro
Lusitano Évora – Estrela Vendas Novas
Continuação Torneio dos Canaviais








SUGESTÕES PARA O FIM DE SEMANA

ALANDROAL



MONTEMOR




ÉVORA



OUTRAS LOCALIDADES



quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

TAL & QUAL

ESTE SENHOR ( Jack Soifer) TEVE A CORAGEM DE COLOCAR OS PONTOS NOS IIIs


Portugal foi um país pobre, com um povo esforçado, que aproveitava tudo que pudesse explorar, para sobreviver. Das sobras do almoço, fazia-se a nutritiva sopa do jantar. Até que entrou na UE e vieram subsídios, apoios, QRENS e começaram os desperdícios, o uso do dinheiro de outros para ganhar viagens, amigos e votos.
Hoje, os políticos aqui têm vantagens que nem na pobre Alemanha desfrutam. Na Suécia, eles vão de comboio para encontrar os seus eleitores de sexta-feira a segunda-feira seguinte.
Em Estocolmo, andam de metro e autocarro, para poder falar com o cidadão normal. Vivem em T0 de 18m² durante a semana, lavam a sua roupa numa máquina coletiva na cave, jantam na tasca da esquina, também para encontrar os seus eleitores.

POIS ! ....


NO PASSADO FIM DE SEMANA A MINA DO BUGALHO ESTEVE EM FESTA

Fique com a reportagem fotográfica da Procissão do Senhor S. Brás, enviada peo nosso Colaborador                                                                                  Vitor Matos.


O DIABO NA CRUZ

i)         
O Al tejo vai, por hoje, ensaiar o direito editorial particular de desafiar a sua própria ingenuidade. Estamos no Alentejo por isso deixem lá passar esta “brincadeira muito séria” fazendo vir ao de cima algo do que nos vai no espírito.

         Ora bem. Para ser francamente realista devo evidenciar que “o conflito israelo-palestiniano” em curso não tem solução visível para além da carga e das rivalidades religiosas muito intensas que vem acumulando ao longo da história.
Mas para ser francamente idealista (mas não ingénuo), por vezes, ainda sonho, que poderia haver uma solução: a de integrar, na União Europeia, no mesmo dia e à mesma hora (tal como sucedeu com Portugal e Espanha) o Estado Palestiniano e Israel. Seria a aventura politica exemplar deste século XXI no Médio Oriente.
Isto desde que os 28 Estados da U.E. estivessem, por unanimidade, de acordo. Mas como não estão, nada feito e o conflito continuará sem ter resolução. Além do mais, porque uma tal vontade custaria muito dinheiro aos países ricos que não estão para isso nem sequer para se arriscar num mínimo de custos da paz entre nações vizinhas.
Eis assim de novo a estaca zero ao fim do terceiro cessar fogo, à espera de uma qualquer trégua duradoura definitiva que não virá e, para já, à custa do montão de 12 000 casas arrasadas e perto de 500 crianças mortas.
ii)              
A SOMBRA das CAUSAS
          Têm a ver com o HAMAS que nasceu na Faixa de Gaza (1973) apoiado por Israel e venceu eleições dando-se depois à tarefa de criar uma rede de escolas, infantários, clinicas, etc.
Portanto, o HAMAS, é um grupo radical apoiado por Israel como contrapeso ao inimigo central de Israel, a Organização de Libertação da Palestina de Y. Arafat que, entretanto, foi envenenado sendo considerado o principal responsável pelos ataques terroristas contra Israel.
iii)               
A CAUSA das SOMBRAS
Só após os Acordos de Oslo de 1993 é que o HAMAS se tornou a “besta negra dos israelitas”. A mutação do HAMAS confirmou-se em 1994 quando começou a fazer ataques suicidas enquanto Israel recuperava a táctica dos assassínios selectivos matando o xeque Yassim.
Mais coisa menos coisa (todas elas significativas da desorientada desconfiança mútua e, particularmente, da falta de lideranças capazes, penso eu) este capítulo que agora se abriu durará até à próxima violentíssima actualidade dos telejornais..
O HAMAS tem o poder em GAZA e a Palestina na prática dividiu-se na Cisjordânia onde manda a Fatah enquanto o Hamas domina em Gaza. Somam-se as três últimas e poderosas operações militares de Israel e cá temos parte do tal cenário histórico irresolúvel.
A não ser que, digo eu, com uma nova dose acrescida de ingenuidade, os USA, Rússia, a Arábia Saudita e o Irão decidissem acabar com o fornecimento de armas e de dinheiro.
Vamos ficar por aqui.                    

iv)                
Em conclusão, o mundo das relações internacionais está cheio de presentes envenenados e guerras mortíferas a que o Al tejo, o Alentejo, e o Alandroal não são insensíveis…
Numa perspectiva local, há que reparar, se bem que pelo lado benigno, que também há por aqui alguns políticos locais que têm uma cara, mostram duas, jogam com três e, às vezes, até ameaçam com quatro. Parece um bocado exagerado mas já assim foi visto.
Porque querem todos a sua talhada de melancia, sem repararem que o melhor seria produzirem algum “sumo de melão” de boa qualidade nos anos que medeiam as eleições autárquicas.
  O Al tejo, sempre atento a estas posições, envia pois daqui um metafórico “recado” : aos grilos que chilreiam, às cebolas que não se descascam ou aos nabos que crescem na altura das eleições para se disporem, de uma vez por todas, a debater e a reflectir estrategicamente o futuro do Concelho entre as eleições locais. Com uma reflexão séria, ocupando os ditos anos que separam periodicamente as votações.
Isto sim, seria fazer coisas com sentido do presente e de futuro. E com utilidade social para um Concelho que também vai tendo as suas “Faixas de Gaza” empobrecidas à mercê dos vendedores de banha da cobra eleitorais cobertos pela sombra.
 Fiquemos neste ponto.

  Melhores saudações. Mais e Melhores Festas…! 

    António Neves Berbem
   (28/8/2014)

  Ps. Se julgam que isto é mais uma utopia, sem pés nem cabeça, vejam como um simples Francisco, Papa, acabou de ir à Coreia dizer-lhes directamente, em casa deles, que a reunificação tem de acontecer, uma vez que a península continua provisoriamente dividida e estrangulada desde 1948.
A parvoíce total foi que os coreanos do Norte “se assustaram” e lá dispararam mais 5 mísseis. Obviamente sem consequências. Mas, já viram bem como é que anda a cabeça de certos chefes políticos…que têm umas armas em armazém e aparecem armados em “Diabos na CRUZ”.


PÁGINA DE TAUROMAQUIA _ CORRIDAS A REALIZAR


RECEBIDO PARA DIVULGAÇÃO

SOCIALISMO 2014, A UNIVERSIDADE DE VERÃO DO BLOCO DE ESQUERDA COMEÇA ESTA SEXTA-FEIRA
29 a 31 de Agosto de 2014
Évora – Escola Secundária Gabriel Pereira
O Bloco de Esquerda organiza, a partir de sexta-feira, a sua Universidade de Verão, o Socialismo 2014, naquele que é o maior fórum de ideias e debates organizado pelo movimento. O encontro, que marca também o início do novo ano político, realiza-se em Évora, na Escola Secundária Gabriel Pereira.
 O Socialismo 2014, que tem lugar entre sexta-feira e domingo, juntará dezenas de especialistas, investigadores e académicos em mais de 40 debates e ateliers, com temas tão variados como os novos debates económicos em curso na Europa, o “caso” BES, o euro, ambiente, cultura e direitos sociais e laborais.
 SEXTA-FEIRA, 29
Sessão de abertura
, às 22 horas, no auditório da Escola Secundária Gabriel Pereira.
Com João Semedo, Luís Mota, Inês Barbosa
Sábado, 30Debates, workshops, teatro e mais iniciativas durante todo o dia (das 10 às 20h), na Escola Secundária Gabriel Pereira.
15h30, sessão com Francisco Louçã.
16h45, sessão com João Ferreira do Amaral, “e se tivermos que sair do euro?”.
 DOMINGO, 31
Sessão de Encerramento, por Catarina Martins, às 16 h
No auditório da Escola Secundária Gabriel Pereira.


RESUMO DE NOTÍCIAS REFERENTES AO ALENTEJO

A Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo decidiu aderir à Rede de Fomento de Negócios, o que vai permitir apoiar jovens do concelho a criarem a sua própria empresa.

Cinco toureiros espanhóis vão actuar nas touradas de morte das Festas de Barrancos, que começam esta quinta-feira, 28, para cumprir uma tradição legalizada há 12 anos.
A "Fêra de Barrancos", popularizada e mediatizada devido aos touros de morte e que mistura celebrações religiosas e divertimentos pagãos em honra de Nossa Senhora da Conceição, a padroeira da vila raiana, vai decorrer até domingo, 31, com muito "cachondeo" (divertimento).

A Câmara Municipal de Elvas vai ter uma auditoria da Inspeção Geral das Finanças (IGF). A auditoria terá início já no próximo mês, em setembro.

IMPRENSA REGIONAL DE HOJE











quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

PARA PRINCIPIAR : VÁ LÁ NEM TUDO SÃO MÁS NOTÍCIAS


Depois de em 2012 o Município de Alandroal ter assinado um protocolo com o Ministério da Administração Interna (MAI), para a construção de um novo posto da GNR na sede de concelho, e de em 14 de Novembro de 2013 ter sido publicado em Diário da Republica, DR, a autorização da obra, esta parece continuar parada.
No entanto, foi esta quarta-feira (27 de Agosto) publicado em DR a autorização para Direção-Geral de Infraestruturas e Equipamentos a assumir os encargos relativos à reabilitação de prédio urbano na freguesia de Alandroal, nomeadamente o antigo posto da GNR de Alandroal.
Segundo a portaria n.º 706/2014, hoje publicada, “É autorizada a Direção-Geral de Infraestruturas e Equipamentos a assumir os encargos relativos à reabilitação do prédio urbano inscrito na matriz predial sob o artigo 1290 da freguesia de Alandroal (Nossa Senhora da Conceição), e descrito na conservatória do registo predial sob o n.º 238/19890123 até ao montante global de € 593 409,39.”
É ainda referido “o encargo orçamental resultante da execução do presente diploma não poderá, em cada ano económico, exceder as seguintes importâncias: 2014 — € 198 701,89 IVA incluído nos termos legais; 2015 — € 394 707,50 IVA incluído nos termos legais.”
Na portaria hoje publicada é ainda revogada a Portaria n.º 755/2013, de 12 de novembro, onde já eram disponibilizadas verbas.

SÍNTESE DE NOTÍCIAS REFERENTES AO ALENTEJO


O vereador socialista da Câmara de Vendas Novas João Telha da Silva renunciou ao mandato.
Alega que perdeu a “confiança política, profissional e pessoal” no presidente do município” e que receia que “a consequente degradação da relação pessoal pudesse vir a repercutir-se negativamente no trabalho da autarquia.

A Câmara de Alandroal deverá ser a única autarquia do distrito de Évora ser obrigada a recorrer ao Fundo de Apoio Municipal (FAM).

Com um passivo superior a 80 milhões de euros, a autarquia eborense irá ter “algumas obrigações, mas não tem que aderir forçadamente ao fundo.”, referiu Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara de Évora. 





E OS SEUS $$$$$ €€€€€€ ONDE FORAM PARAR?


CÂMARA DO ALANDROAL CONFIRMA ADESÃO AO FAM

Na integra se transcreve a notícia emanada pela Agencia Lusa há cerca de 20 horas atrás:
«Câmara de Alandroal obrigada a recorrer ao Fundo de Apoio Municipal devido a "ruptura financeira"
26-08-2014 18:23 | Política
Fonte: Agência Lusa
Alandroal, 26 ago (Lusa) -- A Câmara de Alandroal vai ser obrigada a recorrer ao Fundo de Apoio Municipal (FAM) por se encontrar "em rutura financeira", com um passivo de "mais de 30 milhões de euros", revelou hoje a presidente do município.
"A câmara está obrigada a recorrer ao FAM. Não temos escolha possível porque estamos em situação de rutura financeira, há já vários anos", realçou à agência Lusa Mariana Chilra (CDU).
A autarca lembrou que, a 31 de dezembro de 2013, o passivo da câmara era de "mais de 30 milhões de euros", pelo que, nos termos da lei, o município é obrigado a recorrer ao fundo, "sob pena de perda de mandato dos eleitos e de multas".
Contudo, frisou, apesar das "grandes dificuldades económicas", a autarquia não vai ter de integrar o grupo de câmaras que têm de recorrer de imediato à linha de emergência do Governo para os casos de maior endividamento.
"Temos cumprido com o pagamento de salários e dos serviços essenciais para a câmara, como telefone ou combustível. Por enquanto, vamos conseguindo cumprir esses pagamentos", disse.
No que respeita ao FAM, a Câmara de Alandroal está a elaborar um plano de ajustamento para candidatar junto do Governo, o qual deverá ser submetido a apreciação e votação do município e da assembleia municipal "até final de setembro".
"O plano ainda não está preparado, mas o que temos pensado é pedir a sua aprovação a 30 anos e, mesmo assim, seremos obrigados a pagar cerca de 1,5 milhões de euros todos os anos, além das despesas normais e correntes da câmara", revelou.
Nesse documento, a câmara vai ter que indicar "todos os credores com quem estabelecer acordo e cujas dívidas sejam superiores a cinco mil euros".
Apesar de reconhecer "uma situação catastrófica" do município, que precisa "de um saneamento financeiro", Mariana Chilra considerou o FAM como "uma falsa ajuda" para as câmaras com problemas financeiros.
No Alandroal, "precisávamos era de ter tido, há muitos anos atrás, um maior controlo nas despesas. Agora estamos em rutura e o FAM significa o controlo total da nossa atuação. Vamos perder autonomia administrativa e financeira e passamos a ser meros instrumentos de gestão", criticou.
O Governo estima que 19 municípios sejam obrigados a aderir ao FAM, novo mecanismo de regularização financeira que será facultativo para outras 23 autarquias, revelou, na segunda-feira, o secretário de Estado da Administração Local, António Leitão Amaro.
A lei 53/2014, publicada em Diário da República, na segunda-feira, estabelece as condições para a recuperação financeira dos municípios, prevendo-se casos de "recurso obrigatório" e situações de "recurso facultativo" ao FAM.
O capital social do FAM é de 650 milhões de euros, a subscrever em 50% pelo Estado e na restante metade por todos os municípios e que terá de ser realizado no prazo máximo de sete anos, com início em 2015, assegurando o Estado desde já o apoio aos municípios em situação mais crítica.
RRL // ROC
Lusa/Fim »